segunda-feira, 10 de outubro de 2011

DNA... A molécula da vida...

   O DNA é considerado a molécula da vida, pois é nela que está contida todas as características e informações genéticas de um organismo. Nela consta tudo o que você é hoje, quer dizer, consta o que significa cada pedacinho de você.
   O DNA é a parte mais importante de cada célula. Contém informações vitais que passam de uma geração em geração. É através dele que se coordena a sua fabricação, como também a de outros componentes das células, como as proteínas. 
   A sigla DNA é utilizada universalmente, mas no Brasil usa-se também a sigla ADN, que significa ácido desoxirribonucléico.

          Ácido Desoxirribonucléico (DNA ou ADN)

   Sua localização principal é o núcleo da célula. O DNA é um polímero, ou seja, uma macromolécula formada pelo encadeamento de unidades menores, os monômeros. Esses monômeros são chamados de nucleotídeos. Então o DNA é um polinucleotídeo.
   Cada nucleotídeo é o resultado de uma combinação de três moléculas: fosfato, açúcar e base nitrogenada.
   O açúcar (carboidrato) pertence ao grupo dos monossacarídeos (pentose: desoxirribose)
   As bases nitrogenadas pertencem a duas categorias: púricas e pirimídicas. As púricas ou purinas são adenina (A) e guanina (G), e as pirimídicas ou pirimidinas são citosina (C) e timina (T). Essas bases são aquelas letrinhas que se observa em toda figura representativa da molécula de DNA.

          Estrutura

   O DNA é formado por duas cadeias polinucleotídicas que podem ser caracterizadas como: complementares helicoidais, e antiparalelas. Tem a estrutura básica de uma escada de corda, cujos corrimãos são constituídos por uma sucessão de moléculas intercaladas de açúcar e ácido fosfórico. Os degraus da escada são representados por pares de bases nitrogenadas. Cada degrau da escada é constituído de uma purina ligada a uma pirimidina. As cadeias polinucleotídicas chama-se complementares pois, em cada degrau, adenina pareia com timina, e citosina pareia com guanina. A união entre as bases é feita através de duas pontes de hidrogênio entre adenina e timina e três entre citosina e guanina.
   Ocorre o pareamento: A = T e C = G. Devido a complementaridade (A – T e C – G), as duas cadeias são orientadas em sentidos opostos, daí a designação de antiparalelas.

          Duplicação do DNA

   Duplica-se por um processo chamado de semiconservativo. Através de uma enzima específica (DNA-polimerase), ocorre a quebra das pontes de hidrogênio e a separação das duas cadeias. Ao mesmo tempo, cada cadeia completa a sua cadeia complementar através do encadeamento de novos nucleotídeos. O resultado é a formação de duas novas cadeias que conservam, na estrutura, uma metade da molécula mãe. Por isso que uma espécie, mantém estáveis suas características milhares de anos.

          Duplicação, transcrição, tradução e mutação

- Duplicação: o DNA se duplica, originando outro DNA, o que permite a distribuição de informação hereditária idêntica nas células-filhas e nos descendentes.

- Transcrição: o DNA faz RNA. O RNA, no citoplasma, comanda a síntese de proteínas, processo denominado tradução.

- Tradução: processo pelo qual o RNA comanda a síntese protéica.

- Mutação: uma duplicação que envolve um “engano”, levando ao surgimento de características novas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário